As campanhas de moda, em geral, trazem grandes celebridades ou, então, alguém que vai ser a “carinha” da marca. Poucas são as marcas e os estilistas que fogem dessa fórmula.

O grande problema disso é que a publicidade, muitas vezes, faz com que os consumidores (especialmente mulheres) desejem ser aquilo que é evocado na campanha. O consumo e a publicidade estão mudando.

A moda tem percebido que, cada vez mais, o consumidor quer se identificar com a publicidade da maneira mais real possível.  E que, o papel do marketing, da publicidade é compreender os desejos desse consumidor contemporâneo. Quem faz isso, certamente possui mais sucesso. Os movimentos são ínfimos, mas estão ganhando espaço.

Vocês lembram da Campanha Dove pela Real Beleza?

A campanha “Faceless” (sem rosto), da estilista Diane Von Furstenberg (criadora do vestido envelope) traz um rosto da modelo coberto por um espelho e a mensagem “a mulher que você quer ser”. O espelho reflete a imagem do céu. Essa é a campanha primavera verão 2012 da estilista.

Campanha Faceless de Diane Von Furstenberg

A mensagem é que a moda de Diane Von Furstenberg reflete, é feita para você, mulher. Podemos interpretar que o rosto da campanha é de quem está vendo e gostando, ou seja, a consumidora. Ou, então, qualquer coisa que você queira ver. A imagem chama atenção do espectador para dentro do espelho.

Ao mesmo tempo, a campanha é uma homenagem ao surrealismo. Vários fashionistas associaramà arte de Magritte Baldessari e Salvador Dalí.

Diane já é conhecida por defender o poder feminino. E, nós, adoramos.

Eu amei essa campanha. Achei o máximo a audácia e esse outro modus faciendi da moda por DVF. A moda serve para pensar (também!).

O que você achou? Polêmica? Gostou? Traga o seu comentário. O seu ponto de vista é sempre muito importante aqui!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)