Para muitos, vida de estagiário não é fácil. Todos já ouviram piadas sobre estagiário e os abusos que existem nesse universo! O estagiário, em muitas empresas, é o “faz de tudo”, o “quebra galho”, o que “faz o que ninguém quer”. Talvez essa seja a parte negativa que muitas empresas exploram do estagiário, mas é preciso vê-lo como um funcionário em potencial, repleto de energias prontas para serem utilizadas a favor da empresa e do próprio crescimento em sua trajetória profissional. Nenhuma empresa transfere a posição de um estagiário para funcionário, sem perceber nele a competência, a capacidade, interesse e engajamento necessários para isso. Só que não é papel da empresa ficar procurando isso em cada estagiário, mas sim do estagiário se mostrar como um profissional competente e que pode ser aproveitado na empresa como um funcionário.

Cotidiano de estagiário: Estágio vira emprego?

De fato, se você quer “chegar aonde quer, muitas vezes, precisa fazer muitas coisas que não quer”, já dizia a máxima! Ninguém está falando de coisas ilícitas aqui! A ética, a moral e o bom caráter devem fazer parte da postura de qualquer profissional. O que essa máxima quer dizer é que muitas vezes precisa-se passar por caminhos tortuosos para chegar a certa experiência, que favorecerá ao sujeito um certo número de possibilidades e trará garantias importantes para sua vida profissional. E que sem esse “caminho tortuoso”, dificilmente alcança-se determinadas condições.

Porém, muitas vezes, muitos estagiários possuem uma postura totalmente negativa e isso está em todo lugar, das pequenas às grandes empresas. O problema disso é que, quase sempre, a figura do estagiário passa a ser abominada nos mais diversos setores e começa a existir uma evitação ao pensar nele para compor o quadro de empregados de uma empresa. As piadinhas não surgem do nada. Não é mesmo?

Como lidar com o estágio?

Quer exemplos que podem acabar com a imagem de qualquer estagiário? Ser acomodado, achar que já sabe tudo que poderia saber sobre sua área; pensar apenas no dinheiro que o estágio pode gerar; não procurar entender as prioridades da empresa a qual está inserido; não saber trabalhar em equipe; fugir de responsabilidades e de tarefas e, principalmente, perde tempo no trabalho (com internet e afins).

A postura profissional competente é vital em qualquer grau de trabalho e se uma pessoa não é capaz ou interessa-se em primar pelo profissionalismo, dificilmente terá em outras circunstancias e/ou em outras hierarquias. A empresa precisa ter credibilidade na figura do estagiário, mas para isso, é necessário muito trabalho, esforço e dedicação. Procurar compreender o mercado e a própria dimensão da empresa onde está inserido também torna-se essencial no cotidiano do estagiário. Muitas vezes, as pessoas querem muito reivindicar direitos, desejos e aspirações, mas se esquecem que isso anda atrelado aos próprios deveres. Logo, não se pode perder de vista o seu papel como estagiário e aonde se pretende chegar.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)