As relações mãe e filha são complexas e diversas. Algumas mães e filhas são melhores amigas. Outras se falam uma vez por semana. Algumass se vêem semanalmente; outras moram em diferentes estados ou países. Algumas discutem regularmente. Algumas evitam conflitos. Outras falam de tudo. E, sem dúvida, há um pouco de todas essas coisas na maioria dos relacionamentos.

Há também altos e baixos, não importa quão positivo (ou espinhoso) o relacionamento. Três queixas principais que as filhas tem sobre suas mães são: Mães tentam ser pais, são excessivamente críticas, e são excessivamente exigentes. Do ponto de vista das mães, as filhas não as escutam, fazem escolhas ruins e sentem que as filhas não tem tempo para elas.

Seja qual for o seu relacionamento com sua mãe ou filha, você sempre pode fazer melhorias. Veja como melhorar sua comunicação e conexão e reduzir os confrontos.

Como melhorar o relacionamento com sua mãe tendo a primeira atitude?

Não espere que a outra pessoa de o primeiro passo.Fazer isso inevitavelmente deixa os relacionamentos presos. Pense em como você se sente no relacionamento e o que você pode fazer para mudar. Ao fazer isso, você pode se planejar em dar o primeiro passo para tomar o controle do relacionamento e assim, direcioná-lo para um lugar melhor.

Mudar a si mesma é uma das dicas mais importantes para o relacionamento

Muitos pensam que a única maneira de melhorar um relacionamento é que a outra pessoa mude de atitude. Mas você não está acorrentado a suas ações; você pode mudar suas próprias reações e respostas. Curiosamente, isso ainda pode alterar seu relacionamento. Pense nisso como uma dança. Quando uma pessoa muda seus passos, a dança inevitavelmente muda.

No relacionamento entre mãe e filha, é importante ter expectativas realistas

Mães e filhas muitas vezes tem expectativas idealistas sobre seu relacionamento. Por exemplo, as crianças geralmente acham que sua mãe estará cuidando e sempre presente. Essa ideia pode se desenvolver desde cedo. Quando seus filhos forem mais jovens, você pode acabar configurando essa crença irreal durante os momentos de leitura para os filhos. Imagine ler um livro sobre uma coelhinha mamãe que resgatava o filho toda vez que ele se aventurava e tentava uma atividade arriscada, como velejar ou escalar montanhas. Isso cria uma crença de dependência na criança. Pense nas suas crenças e veja como elas podem estar prejudicando seu relacionamento.

Relacionamento precisa de comunicação

A falta de comunicação é um desafio comum entre mães e filhas. De certa forma, eles podem estar tão perto ou se sentir tão perto que acreditam que cada um deles deve saber como a outra se sente. O que acontece como resultado é que elas não se comunicam ou elas se comunicam com dureza, de maneiras que nunca ousam falar com os outros, o que causa sentimentos de mágoa que não desaparecem tão facilmente.

Como mães e filhas não são leitoras de mentes, seja clara e calma sobre como você está se sentindo. Além disso, fale sua de uma maneira muito sincera, mas gentil. Sua mãe está tratando você como uma criança Basta dizer: “Mãe, você não está me tratando como uma adulta”.

Relacionamento com mãe

Melhorar seu relacionamento com sua mãe só tem a contribuir para uma vida mais saudável e uma família muito mais unida. (Foto: Triple P Parenting)

Seja uma ouvinte ativa para sua mãe

A escuta ativa é refletir de volta o que a outra pessoa está dizendo, em vez de assumir que você já sabe. Quando você reflete de volta o que sua mãe ou filha está dizendo, você está dizendo que ela está sendo ouvida e que você entende. Além disso, ouça os sentimentos subjacentes à mensagem, que é frequentemente a mensagem real. Se “a mãe diz: “você está agindo como um capacho”, a filha ouve isso como sendo terrivelmente crítica, e que ela não é boa o suficiente, mas o que a mãe está realmente dizendo é: “Eu me sinto muito protetora porque você não está se protegendo”.

Repare os danos rapidamente na relação

Um dos princípios fundamentais para sustentar casamentos saudáveis e satisfatórios é reparar os danos rapidamente. Casais saudáveis não evitam conflitos. Eles percebem que o conflito é inevitável e eles lidam com isso de frente. Isso também se aplica aos relacionamentos de mãe e filha.

Não resolver conflitos pode ter consequências surpreendentes. Se você não lida com sua mãe (e seu pai) resolvendo conflitos, você terá esses mesmos padrões em seus futuros relacionamentos, seja com seus amigos, parceiros ou chefes.

Trabalhar com sua mãe, no entanto, é o melhor presente que você pode dar à sua filha.

Mas escolha suas batalhas. Se não for tão importante, em vez de estar em um cabo de guerra, basta soltar a corda. Caso em questão: anos atrás, a mãe de uma amiga disse a ela para colocar um chapéu em seu bebê para que ele não adoecesse. Em vez de discutir sobre algo tão pequeno, minha amiga colocou o chapéu e seguiu em frente.

Coloque-se no lugar de sua mãe

Empatia é como ampliar a lente. Usemos a analogia de uma câmera digital, que apenas nos oferece uma foto instantânea. Mas uma lente panorâmica fornece uma visão muito mais ampla, permitindo-nos ver o objeto em um contexto maior.

Se você é uma filha, pense em sua mãe como uma mulher com suas próprias feridas e mágoas, que nasceu e cresceu em uma geração diferente, com diferentes valores e difíceis relações familiares e problemas.

Como tal, aborde os sentimentos da sua mãe ou filha com empatia e ofereça o ouvido. Se a mãe realmente quer sair, em vez de dizer “Pare de me perguntar, você sabe que estou ocupada”, diga: “Eu sei o quanto você quer se encontrar comigo, e eu gostaria de poder, mas não posso fazê-lo esta semana; podemos fazer isso na semana que vem?”.

Aprenda a perdoar sua mãe

Perdão é um ato individual. Ele difere da reconciliação, que pega as pessoas e nem sempre é possível. Perdoar alguém não é dizer que o que aconteceu está bem. Perdoar não é minimizar o impacto.

O perdão é como uma chave para o bem-estar. Você precisa perdoar sua mãe para ter saúde. O poder do perdão é realmente para a pessoa que perdoa. Quanto melhor você puder perdoar, melhor poderá reparar os danos rapidamente.

Equilibre a individualidade e a proximidade

Pode ser um desafio para as filhas construírem suas próprias identidades. Às vezes as filhas acham que, para se tornarem independentes, elas devem se separar de suas mães. Ou, pelo contrário, elas estão tão unidas que não conseguem tomar decisões sem a contribuição delas. Ambos os casos são claramente problemáticos.

Mas as filhas podem encontrar suas vozes e identidades dentro do relacionamento. Aprendemos a lidar com conflitos e emoções negativas através de nossas famílias. Você não cresce e se desenvolve e se torna independente sem relacionamentos.

Então, como você pode encontrar um equilíbrio entre ficar conectado e ainda ser fiel a si mesmo? Você pode assumir qualquer posição sobre qualquer questão poderosa e manter-se na defensiva sem ficar raiva. É esse equilíbrio de conexão e separação.

Um exemplo, uma amiga e sua mãe tiveram um relacionamento positivo, mas às vezes lutavam com esse equilíbrio. Quando minha amiga já era uma profissional bem estabelecida na casa dos 30 anos, sua mãe ainda lhe dizia o que fazer. Toda vez que ela visitava, dizia: “Linda, está ficando tarde, é hora de você ir para a cama”. Minha amiga estava furiosa com a mãe e acabou descarregando suas frustrações no marido. Então, ela percebeu que tinha que falar com sua mãe de uma maneira diferente. Na noite seguinte, a mãe dela disse a mesma coisa, e a minha amiga usou o humor: “Mãe, se você não estivesse lá, eu provavelmente teria ficado acordado a noite toda.” “Eu preciso parar de exagerar, não é?” a mãe respondeu.

Concorde em discordar

Mães e filhas discordam sobre muitos tópicos, como casamento, maternidade e carreira, e geralmente tentam convencer a outra a mudar essas opiniões. As mães sentem-se ameaçadas e rejeitam que suas filhas tomem decisões diferentes. As filhas acham que as mães as desaprovam e ficam na defensiva.

Perceba que há alguns tópicos com os quais você nunca concorda. E tudo bem. Na verdade, é muito saudável para mães e filhas desavenças importantes. Além disso, não leve algo para o pessoal que não seja pessoal.

O resultado é que mães e filhas podem ser muito próximas, mas elas não são as mesmas pessoas. Elas podem ter diferentes interesses, metas e formas de lidar com as coisas. Uma filha não precisa mudar suas escolhas para agradar a mãe; e mamãe não precisa mudar suas opiniões também. Sua mãe pode preferir um papel de parede para sua casa e você querer outro sem que isso se torne motivo de guerra.

Esteja no presente para lidar com sua mãe

Mães e filhas tendem a ter uma desavença antiga que corre como um disco quebrado no fundo do relacionamento. Esse argumento torna-se o desacordo padrão. Em vez disso, evite trazer velhas queixas do passado e tente se concentrar no presente com sua mãe

Evite as acusações

Use declarações de “eu”, em vez de ser acusatória. Você pode dizer: “Eu me sinto assim ou é assim que isso me faz sentir”. Da mesma forma, evite sarcasmo e brincadeiras. É facilmente mal interpretado, causa sentimentos feridos e leva você para longe da resolução.

Fale sobre como você deseja se comunicar

As mulheres mais jovens normalmente não querem falar ao telefone. Essas mães de jovens muitas vezes ouvem as filhas reclamando que as mães telefonam na pior parte do dia para elas.

Em vez de desligar duramente na cara da sua mãe (ou ignorar suas ligações), comunique o que funciona melhor, como: “Se você quer falar ao telefone, a melhor hora é de manhã. Mas se você quiser me alcançar durante o dia com algo mais urgente, basta me enviar uma mensagem. ”

Defina limites para sua mãe

Normalmente vemos que se arrependem de não tentar reparar seus relacionamentos com as mães depois que elas saem de casa. Mesmo quando o relacionamento é negativo ou insalubre, ainda há um laço poderoso,. Uma maneira de facilitar a reconexão com sua mãe (ou filha) é estabelecendo limites claros. Limites são fundamentais para qualquer relacionamento saudável.

Por exemplo, ao visitar sua mãe ou filha durante as férias, fique em um hotel. Deixe que ela conheça seus limites e no minuto em que ela começar a cruzá-los, diga que você vai sair. Se você está falando pelo telefone, veja um exemplo: “Eu quero falar com você e manter nosso relacionamento, mas se você começar a me chamar de nomes ou me criticar, eu tenho que desligar o telefone porque não é saudável para mim”.

Afirmar-se com sua mãe ou filha pode se transformar em outros relacionamentos. Se você pode criar e manter limites com ela, então você pode fazer isso com qualquer outra pessoa, como seu chefe ou parceiro.

Não traga terceiros para as discussões

É comum que mães e filhas tragam outra pessoa para o conflito. Uma filha pode envolver o pai porque a mãe está a deixando louca. A mãe pode envolver outra criança porque sente que não pode falar com a filha. De qualquer forma, fale diretamente com a pessoa.

Por fim, pergunte-se se você está bem com seu relacionamento e suas ações. Isso vai resultar em paz para vocês duas e toda a família.

Como você cultiva o relacionamento com sua mãe?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)