A enxaqueca é um tipo comum de dor de cabeça que pode ocorrer com sintomas como náuseas, vômitos ou sensibilidade à luz. Em muitas pessoas, uma dor forte é sentida apenas em um dos lados da cabeça. Algumas pessoas que recebem enxaqueca têm alguns “sintomas de alerta”, um grupo de sintomas, incluindo distúrbios da visão, que são um sinal de alerta de uma dor de cabeça ruim está por vir.

Uma dor de cabeça difere da enxaqueca principalmente por sua intensidade e frequência, além dos sintomas envolvidos na enxaqueca. Esta, também pode ser mais crônica e ocorre com maior frequência.

Causas, incidência e fatores de risco

A enxaqueca tende a aparecem pela primeira vez entre as idades de 10 e 45. Às vezes, eles podem começar mais tarde na vida, mas ocorrem mais mais frequentemente em mulheres do que homens. A genética também influencia na ocorrência de enxaquecas. Algumas mulheres, mas não todas, podem desenvolver enxaquecas durante a gravidez.

A enxaqueca é causada por atividade anormal do cérebro, o que pode ser desencadeada por uma série de fatores. No entanto, a cadeia de eventos exatos causadores da dor permanece pouco claro. Hoje em dia, a maioria dos peritos médicos acreditam que o ataque começa no cérebro e envolve vias nervosas e produtos químicos. As alterações afetam o fluxo de sangue no cérebro e nos tecidos circundantes.

Estresse, álcool e ansiedade, certos odores ou perfumes, ruídos altos ou luzes brilhantes e fumar podem desencadear uma enxaqueca, assim como a retirada da cafeína, mudanças nos níveis hormonais durante o ciclo menstrual de uma mulher ou com o uso de pílulas anticoncepcionais, mudanças nos padrões de sono, exercício ou estresse físico, refeições perdidas, fumar ou exposição à fumaça. Tais gatilhos podem ser únicos para cada pessoa ou podem se misturar.

Alguns alimentos também podem desencadear enxaquecas, tais como qualquer processado, fermentado, em conserva, marinados ou alimentos, bem como os alimentos que contenham glutamato monossódico. Produtos de panificação, chocolate, nozes, manteiga de amendoim e produtos lácteos também podem desencadear as dores, assim como alimentos que contêm tiramina (vinho tinto, queijo envelhecido, peixe defumado, fígado de galinha, figos e alguns grãos) e também algumas frutas (abacate, banana, frutas cítricas), carnes que contenham nitrato (toucinho, cachorros-quentes, salame, carnes curadas) e cebolas.

Estes são os gatilhos mais comuns para a enxaqueca, mas a lista não inclui todos, Existem enxaquecas que também estão envolvidas com reações alérgicas a alguns produtos e materiais.

Enxaquecas verdadeiras não são o resultado de um tumor cerebral ou outro problema sério de saúde. No entanto, apenas um médico experiente pode determinar se seus sintomas são devido a uma enxaqueca ou outras condições.

Um estudo publicado pela Harvard Medical School especifica fatores biológicos e ambientais que fazem da enxaqueca um mal mais comum às mulheres do que aos homens.

Enxaqueca

Não deixe que uma enxaqueca acabe com sua qualidade de vida e busque logo o tratamento certo para você! (Foto: rootnaturalhealth.wordpress.com)

Os sintomas

Distúrbios da visão ou algum dos “sintomas de alerta” são considerados sinais de que uma enxaqueca está chegando. Um dos distúrbios de visão que ocorre em ambos os olhos, é uma “aura” ao redor da visão, precedendo a enxaqueca. Podem também estarem envolvidos um ponto cego temporário, a visão turva, dor nos olhos, visão com “estrelas” ou visão de “túnel”.

Outros sinais de alerta incluem bocejar em excesso, dificuldade de concentração, náuseas e dificuldade em encontrar as palavras certas.

Nem todas as pessoas com enxaqueca tem sintomas de alerta. No entanto, uma destes pode ocorrer apenas alguns minutos a 24 horas de antecedência da enxaqueca. Uma dor de cabeça pode não seguir sempre após um dos sinais.

Dores de cabeça da enxaqueca pode ser leves ou pesadas. A dor pode ser sentida por trás do olho ou na parte de trás da cabeça e pescoço. Para muitos pacientes, a dor de cabeça começa no mesmo lado todas as vezes. Em geral, os sintomas envolvidos com as dores são:

  • Sentir dores intermitentes, martelando ou pulsando;
  • São piores de um lado da cabeça;
  • Comece como uma dor surda e piora dentro de minutos a horas;
  • Dura entre 6 a 48 horas;
  • Calafrios;
  • Aumento da frequência de urinar;
  • Fadiga;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dormência, formigamento ou fraqueza;
  • Problemas de concentração, dificuldade em encontrar palavras;
  • A sensibilidade à luz ou ao som;
  • Suor.

Os sintomas podem continuar  mesmo depois de a enxaqueca ir embora. A pessoa que tem enxaqueca sente-se mentalmente exausto, como o seu pensamento não sendo claro ou nítido, há uma maior necessidade de sono e dores no pescoço.

Melhorando a enxaqueca

Uma má qualidade de vida é quase sempre o principal fator que causa enxaqueca. Cuide de sua saúde para não ter que viver nos médicos. (Foto: www.californiaheadache.com)

Sinais e exames

O seu médico pode diagnosticar este tipo de dor de cabeça, fazendo perguntas sobre seus sintomas e histórico familiar de enxaquecas. Um exame físico completo será feito para determinar se suas dores de cabeça são devido a tensão muscular, problemas de sinusite ou um distúrbio cerebral grave.

Não há nenhum teste específico para provar que sua dor de cabeça é realmente uma enxaqueca. No entanto, o médico pode solicitar uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada, se você nunca teve um antes ou se você tiver sintomas incomuns com sua enxaqueca, incluindo fraqueza, problemas de memória ou não conseguir ficar alerta.

Um eletroencefalograma pode ser necessário para excluir convulsões. A punção lombar pode ser feita também para exames.

Tratamento

Não há cura específica para a enxaqueca. O objetivo é tratar os sintomas da enxaqueca de imediato e, para prevenir os sintomas, evitar ou alterar seus gatilhos. Um passo fundamental envolve aprender como gerenciar suas enxaquecas em casa. Um diário de dor pode ajudar a identificar gatilhos de sua dor de cabeça. Então, você e seu médico podem planejar como evitar esses gatilhos.

Se você tem enxaquecas freqüentes, o médico pode prescrever medicamentos para reduzir o número de ataques. Você precisa tomar o medicamento todos os dias para que ela seja eficaz. Medicamentos podem incluir antidepressivos como a amitriptilina ou venlafaxina; medicamentos sanguíneos de pressão, tais como os beta-bloqueadores (propranolol) ou bloqueadores dos canais de cálcio (verapamil); medicamentos anticonvulsivos, tais como o ácido valpróico, gabapentina e topiramato; injeções de toxina botulínica (Botox) também podem ajudar a reduzir as crises de enxaqueca.

Outros medicamentos são tomados ao primeiro sinal de um ataque de enxaqueca. Medicamentos fáceis de encontrar nas farmácias para dor, como o paracetamol, ibuprofeno ou aspirina são frequentemente úteis quando sua enxaqueca é leve. Esteja ciente, no entanto, que tomar medicamentos por mais de 3 dias por semana pode levar a dores de cabeça que continuam voltando.

Tomar paracetamol em excesso pode danificar o fígado. Ibuprofeno ou aspirina em excesso pode irritar o estômago.

Se estes tratamentos não ajudam, pergunte ao seu médico sobre os medicamentos receitados. Estes incluem sprays nasais, supositórios ou injeções. O seu médico pode escolher entre diversos tipos de medicamentos, incluindo triptanos, ergots e isometepteno (Midrin).

Alguns medicamentos para enxaqueca estreitam os vasos sanguíneos. Se você está em risco de ataques cardíacos ou têm doenças do coração, fale com o seu médico antes de usar esses medicamentos. Não tome ergots se estiver grávida ou planeja engravidar.

Medicamentos para náuseas, sedativos como o butalbital e narcóticos analgésicos também podem ser indicados, dependendo do caso.

A matricária é uma erva popular para enxaquecas. Vários estudos, mas não todos, suportam o uso de matricária no tratamento da enxaqueca. Se você estiver interessado em tentar a matricária, verifique se o seu médico aprova. Além disso, remédios de ervas vendidos em farmácias e lojas de alimentos saudáveis ?podem ter efeitos placebo ou serem realmente efetivos, mas nada de usá-los sem consultar um médico antes.

Tratando a enxaqueca

Uma boa forma de otimizar o tratamento de sua enxaqueca é envolver a família no tratamento. Quem sabe até seu cachorrinho não consiga te dar uma folga dos latidos altos? (Foto: blog.petmeds.com)

Cada pessoa responde de forma diferente ao tratamento. Algumas pessoas têm dores de cabeça raras que precisam de pouco ou nenhum tratamento. Outros, precisam de tomar vários medicamentos ou até mesmo ir para o hospital em algumas crises.

A enxaqueca é um fator de risco para acidentes vasculares cerebrais em homens e mulheres. O risco é maior em pessoas que têm enxaquecas que ocorrem com sintomas de aviso. Pessoas com enxaqueca devem evitar os fatores de risco para acidentes vasculares cerebrais, incluindo fumar, tomar pílulas de controle de natalidade e comer uma dieta pouco saudável.

2 comentários para “Enxaqueca: causas, sintomas e cuidados”

  1. Nelcy

    Gostei muito deste assunto! gostaria de saber mais sobre o assunto; pois tenho enxaqueca a mais de dez anos não ha remedio que passe.até amitril o médico já receitou pra mim.
    Obrigado desde já.
    Nelcy

    Responder
    • Mulher Digital

      Nelcy, querida,

      Talvez, valesse a pena procurar também alguns tratamentos alternativos, como acupuntura, homeopatia. Outra coisa que poderia ajudar é procurar centro de estudos em neurociências, vinculados às universidades e aos hospitais. Há vários espalhados por algumas capitais e, talvez, na sua cidade tenha. O que você acha? Pode ser uma alternativa interessante. :)

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)