O que explica a quantidade de pessoas acima do peso e com imunidade baixa?

A forma que nos alimentamos possui influência no corpo e na mente. E, cada vez mais, pesquisas mostram que a obesidade e a prevenção de muitas doenças estão ligadas às escolhas alimentares.

A ingestão da grande quantidade de alimentos processados tem preocupado, já que são tipos de alimentos considerados perigosos para o organismo. A maioria dos alimentos que está nos supermercados é processado. É preciso considerar que o processamento químico e o refinamento são aqueles tipos de processamentos mais perigosos para a saúde.

A sociedade de forma geral tem privilegiado cada vez mais esses grupos de alimentos. O consumo desses alimentos em excesso podem matar. O que tem neles que fazem mal para a saúde? O site MULHER DIGITAL lista algumas características dos alimentos processados, que fará você evita-los!

Alimentos artificiais|imagem: healthy-holistic-living.com|

“Calorias vazias”

A maioria dos alimentos processados não possuem os nutrientes essenciais, se comparados com os alimentos não transformados, frescos. Geralmente, possuem uma taxa alta de gordura, açúcar, sódio e isso não o torna um alimento com melhor valor nutritivo. É o que chamam de “calorias vazias”, que possuem muitas calorias e poucos nutrientes, como vitaminas, minerais, fitoquímicos, fibras. Após o corpo consumir as calorias correspondentes as suas necessidades, ele armazena as calorias extras como gordura. Evite essas “guloseimas vazias”.

Muitos ingredientes artificiais

Já leu um rótulo de um alimento processado? Há inúmeras substâncias artificiais! Conservantes, corantes, sabores artificiais, aromatizantes, substâncias para dar textura. E, já se sabe que muitas dessas substâncias não são seguras para a saúde. São potencialmente cancerígenas, podem causar irritação, alterar o bom funcionamento do sistema nervoso, digestivo e, até mesmo, neurológico. Esse certamente é o ponto que apresenta maior malefício

Ricos em açúcar

Você sabia que o açúcar refinado é viciante? O mecanismo de vício que o excesso de açúcar provoca no cérebro é o mesmo da cocaína. O cérebro entende o açúcar como recompensa e continua querendo. Ao comer uma grande quantidade de açúcar, reforça-se esse sistema de recompensa e aumenta o desejo de comer alimentos doces sempre. Você vai querer sempre mais e mais.

Leia também: Como cortar calorias?

Carboidratos refinados

Os carboidratos não são vilões da dieta, da saúde, como muitos acreditam. O problema é a escolha do carboidrato. Carboidratos refinados (especialmente de farinha branca) faz com que ocorra picos de açúcar no sangue e ocorra menos sensação de saciedade. Leva-se menos tempo para ingerir um alimento processado, o que significa mais fome, mais vontade de comer e, muitas vezes, extrapola a quantidade de calorias recomendadas. Prefira carboidratos de qualidade, com fibras, aqueles considerados integrais, além de alimentos frescos, como frutas, legumes, verduras. Mais fibra na alimentação!

Cheios de gorduras!

As gorduras usadas nos alimentos processados são gorduras baratas, óleos refinados e de má qualidade. Gorduras trans, óleos vegetais hidrogenados, óleos transgênicos. Tudo isso pode conduzir à oxidação e inflamação de células do corpo, aumentando o risco de várias doenças, especialmente as cardiovasculares e a obesidade.

Modificados geneticamente

Muitos alimentos processados possuem ingredientes que são modificados geneticamente, que tem sido associados à infertilidade, ao câncer, ao risco de doenças para fetos, ao autismo e muitas outras condições. Ainda faltam estudos com avaliações precisas e pontuais sobre essa questão, mas já se percebe o risco para a saúde.

Volte ao básico para comer melhor! A aposta mais segura é a comida repleta de alimentos integrais, verduras, legumes. Planejar as refeições pode contribuir para uma vida mais saudável, mesmo para quem passa o dia todo fora. Ter um plano alimentar elaborado por um nutrólogo ou nutricionista pode contribuir para escolhas mais saudáveis. Coma comida de verdade!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)