Alimentação sem glúten é um grande desafio!

Quem possui doença celíaca, intolerância ao glúten sabe que optar por uma alimentação sem glúten não é frescura. É uma questão de saúde e, cada vez mais, é preciso aumentar a consciência das pessoas, da indústria alimentícia, dos restaurantes para esse tipo de público e para as suas necessidades. É pensar e lidar com uma vida sem glúten.

Quando as pessoas são diagnosticas, sempre perguntam-se por onde começar sobre a escolha da alimentação para uma vida saudável. O primeiro passo é dizer sim para a comida sem glúten!

O site MULHER DIGITAL traz algumas dicas para uma vida sem glúten, que pode fazer a diferença para quem precisa dessa alimentação específica. Você vai perceber que o mundo oferece muitas possibilidades para esse estilo de vida. É só pensar “fora da caixinha” glúten! Vamos lá!

Dicas simples para uma vida que não contém glúten

Leia sempre o rótulo!

Os produtos alimentícios comercializados são obrigados a informar a presença de glúten (Lei nº 10.674, de 16 de maio de 2003, Anvisa). Todo rótulo e/ou embalagem precisa conter a informação “contém glúten” ou “não contém glúten”. E, isso vale para bebidas também (como cerveja, por exemplo). Essa é uma atitude fundamental para quem não pode comer glúten. A dieta sem glúten continua sendo o principal tratamento para celíacos e/ou aqueles com sensibilidade ao glúten. Assim, os produtos disponíveis no mercado ficam cada vez mais conhecidos por você. Não tem jeito! É vigiar tudo que vai ser comido! Lembre-se que não basta escolher produtos sem glúten, é preciso pensar em uma alimentação equilibrada.

Cozinhar em casa

A melhor maneira de saber o que está no prato é preparar a sua própria refeição. É segurança para quem precisa comer sem glúten. Sabia que até temperos podem conter glúten? E, muitos lugares que oferecem refeições, lanches não possuem qualquer critério para lidar com o “público sem glúten”. E, sem falar que muitos lugares durante a preparação pode ocorrer a contaminação cruzada. Para esse tipo de caso, a contaminação cruzada é quando a pessoa usa um utensílio na comida com glúten, não lava adequadamente e coloca esse mesmo instrumento no preparo das refeições sem glúten. É muito comum com tábua de cortar, facas, colheres, batedores. Preparar a própria comida é o caminho mais fácil para uma vida saudável sem glúten. Vale até levar marmitinha para o trabalho. As possibilidades da cozinha sem glúten são muitas!

Leia também: Salada de pote para levar

Livre de trigo não é sem glúten!

Há muitos produtos que podem conter outros cereais que possuem glúten, como centeio, cevada e/ou triticale (cereal híbrido obtido a partir do cruzamento do trigo com o centeio). Por isso, é reforço sobre a importância de ler o rótulo dos produtos.

Opte por naturalmente sem glúten!

Há muitas opções de alimentos sem glúten disponíveis. Ninguém vai passar fome! E, cada vez mais, há versões de receitas sem glúten das comidas mais conhecidas. Livros e blogs de receitas sem glúten são lançados, mostrando que é possível cozinhar e comer saudável. Arroz, milho (milho), soja, batata, tapioca, feijão, quinoa, amaranto, mandioca são algumas opções sempre interessantes. Evite enlatados e alimentos processados que, quase sempre, possuem glúten. Dê preferência para alimentos integrais, frescos. Aos poucos, você vai perceber que é possível adaptar-se com criatividade e com as deliciosas opções disponíveis. É possível organizar a alimentação de forma diferente, livre do trigo, do glúten.

Una-se aos grupos “não contém glúten”

Hoje em dia, há uma infinidade de sites, de grupos na internet com a finalidade de conscientizar e defender as causas do “mundo sem glúten”. É importante compartilhar experiências, receitas, opiniões, produtos que funcionam. É bom estar rodeado de pessoas que possuem o mesmo objetivo – vida sem glúten.

Na dúvida, não coma

Não tem certeza que o alimento não contém glúten? Não coma! É quase uma regra de sobrevivência para quem precisa abolir o glúten da alimentação!

A vida sem glúten é um desafio, mas pode dar certo! Em um mundo repleto de glúten, é preciso se adaptar e vencer!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)