O pior tipo de gordura para a alimentação é a gordura trans (ácido graxo trans). O seu malefício mais conhecido é aumentar os níveis do colesterol ruim (LDL). E, ela não é sintetizada no organismo. Muitos especialistas afirmam que não há nível seguro de consumo. A gordura trans é um mal para a saúde e, por isso, precisa ser evitada.

Há um movimento tímido no mercado por alimentos sem gordura trans. Em contraponto, a indústria alimentícia continua injetando toneladas de comidas com esse tipo de gordura descontroladamente.

A indicação é dar preferência para alimentos não processados, gorduras boas (vem especialmente de legumes, nozes, peixes, sementes), alimentos não comerciais, alimentação equilibrada que enfatiza legumes, verduras e frutos integrais, laticínios e carnes com baixo teor de gordura. E o mais importante: ler os rótulos dos alimentos.

Gordura trans nos alimentos|Imagem: imgkid.com|

E, no Brasil, compreender as informações nutricionais dos alimentos nos rótulos é uma tarefa minuciosa. Você sabia, por exemplo, que a rotulagem “zero gordura trans” nem sempre significa a inexistência total de gordura trans?

A Anvisa (Agência Nacional de Segurança Sanitária) determina que o valor da gordura trans seja declarado em gramas por porção de alimentos. Se a quantidade por porção for inferior a 0,2 gramas por porção. Então, aquele alimento que se diz “livre de gordura trans”, “zero gordura trans”, “zero trans” nem sempre realmente é totalmente livre desse tipo de gordura. Já deu para perceber com a legislação abre brechas para obscuridades com relação à taxação da gordura trans, né?

Por isso, para compreender o que realmente possui gordura trans, é fundamental ler a listagem de ingredientes do produto alimentício. Normalmente, pode-se identificar a gordura trans por “gordura hidrogenada”.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Catarina, identificou que a gordura trans pode vir com outros nomes. E, muitas vezes, o consumidor não sabe identificar.

Lista de substâncias com gordura trans:

  • gordura hidrogenada
  • gordura
  • hidrogenada
  • gordura parcialmente hidrogenada
  • gordura vegetal hidrogenada
  • gordura vegetal parcialmente hidrogenada
  • gordura parcialmente hidrogenada e/ou interesterificada gordura de soja parcialmente hidrogenada
  • gordura hidrogenada de soja
  • óleo vegetal parcialmente hidrogenado
  • óleo vegetal hidrogenado
  • óleo de milho hidrogenado
  • óleo vegetal de algodão, de soja e de palma hidrogenado
  • óleo vegetal líquido e hidrogenado mistura láctea para bebidas (3º ingrediente gordura vegetal)

Essa mesma pesquisa também mostrou que há alguns nomes nos ingredientes que podem ou não ter gorduras trans, citados pela Proteste. É difícil definir o que tem ou não tem. Abaixo alguns dessas nomenclaturas.

Lista de nomes que podem ou não ter gorduras trans:

  • gordura vegetal
  • gordura vegetal de girassol
  • gordura vegetal de soja
  • creme vegetal
  • composto lácteo com gordura vegetal (3º ingrediente gordura vegetal)
  • margarina
  • margarina vegetal
  • margarina vegetal hidrogenada

A obscuridade dos rótulos perturba. A gordura trans está escondida em embalagens que se dizem “sem gordura trans”. Há uma tentativa de ludibriar o consumidor. E, mais do que nunca fica evidente a necessidade de estabelecer uma nomenclatura única para se referir à gordura trans na rotulagem do Brasil. Não se deixe atrair pela embalagem! Leia o rótulo no verso!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)